quarta-feira, 19 de novembro de 2014

"Por um fio, a vida em suas mãos"

"Hoje tenho apenas uma coisa a dizer: Obrigado meu Deus, pela bênção de poder compartilhar com amigos, colegas, familiares e ex-alunos a notícia: Tenho a mão o meu livro: "Por um fio, a vida em suas mãos". Claro, é apenas uma amostra (boneco) mas está pronto para ser editado!" (Nelson Linhaus)

 Parabéns Pastor Nelson Linhaus! Deus continue abençoando sua vida! Assim com seus dons servirá ao Senhor com alegria!

DESAPEGA!


              Desapega! Este é o slogan da OLX, uma grande marca de classificados online. Ele convida a fazer algo que às vezes é difícil: se desapegar de algum objeto. Ainda mais se por trás daquele objeto há uma história familiar. A situação piora se ele tem valor sentimental. Desapegar não é tão fácil assim. Quem precisou fazer uma mudança, fazer uma limpa no guarda-roupa ou se desfazer de alguns objetos sabem do que estou falando.
               Desapega! Este também deve ser o slogan quando o assunto é salvação. Não para desapegar-se do mundo e isolar-se numa montanha, vivendo uma vida alienada. Até porque o lugar dos cristãos é vivendo no olho do furacão, no meio da sociedade. Mas o desapega refere-se à velha tentativa de conquistar o amor de Deus, de comprar a salvação, de cumprir regras para ser salvo. “A pessoa que não põem a sua esperança nas coisas que faz, mas simplesmente crê em Deus, é a fé dessa pessoa que faz com que ela seja aceita por Deus, o Deus que trata o culpado como se ele fosse inocente.” (Romanos 4.5). Desapega! Não se agarre nas suas boas atitudes! Se você acha que será salvo por ser bonzinho e caridoso, desapega! Desapega, e apegue-se a Cristo. “Mas, pela sua graça e sem exigir nada, Deus aceita todos por meio de Cristo Jesus, que os salva” (Romanos 3.24).
               Jesus. É dele que você precisa. Apegue-se a Ele. Deixe Ele ser o Deus da sua vida. Jesus é Homem-Deus morto e ressuscitado para perdão e salvação. Crer nisto é ter o céu aberto. Não crer nisto é ter o céu fechado – mesmo que você cumpra inúmeros regulamentos religiosos. Desapegue da tentativa de conquistar Deus por ser bonzinho. Apegue-se ao Jesus ressuscitado. É certeza da salvação. Pode crer!
              Então fica a dica: desapega das ações, apegue-se a Cristo! Mas não se engane. O cristão procura ser um bom pai, boa mãe, bom filho, bom trabalhador. Não para comprar um pedaço do céu, mas para ser um instrumento de Deus para amar e cuidar das pessoas que estão ao seu redor. Se você ainda não conhece este maravilhoso Deus revelado em Jesus, desapega!

Pastor Bruno A. krüger Serves
Congregação Ev. Luterana Cristo, Candelária - RS
Fica a Dica, Folha de Candelária

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Pai – objeto de museu

Será que o Dia dos Pais e o Dia das Mães vão acabar? Em São Paulo o prefeito Haddad já trocou nas escolas municipais as datas por “Dia dos Cuidadores”, uma pretensão nacional de nossos pais e mães lá em Brasília. Mas a data pouco importa quando querem eliminar o formato de pai e de mãe. O Estatuto da Diversidade Sexual, assinado pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, já prevê a morte deles: “Nos registros de nascimento e em todos os demais documentos identificatórios, tais como carteira de identidade, título de eleitor, passaporte, carteira de habilitação, não haverá menção às expressões ‘pai’ e ‘mãe’, que devem ser substituídas por ‘filiação’” (artigo 32). Pelo jeito e por tudo o que as novelas ensinam, a família - pai, mãe e filhos - será objeto de museu.
 
O casamento e as relações no lar sempre tiveram lutas internas. Mas agora os mísseis vêm de fora. Vêm dos meios de comunicação, das drogas, da imoralidade... E pior, das instituições governamentais. O que fazer? Precisamos de um sistema antimísseis. Não é preciso ir à guerra como fazem certos “defensores dos bons costumes”. Se o casamento e a família são obras daquele que disse “É por isso que o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher” (Gênesis 2.24), então nada neste mundo pode explodir as invenções divinas. “Tudo o que Deus criou é bom”, escreve o apóstolo na primeira carta a Timóteo. Mas ele recomenda vigilância: “Nos últimos tempos alguns abandonarão a fé. Eles darão atenção a espíritos enganadores (...) Essas pessoas ensinam que é errado casar” (4.1-5). Paulo então recomenda “exercícios espirituais” (4.7), ou seja, meditação na Palavra de Deus e oração. O que é um baita problema quando a televisão e a internet são os treinadores de nossa mente. Por isto, se a Bíblia diz “Escute o seu pai, pois você lhe deve a vida” (Provérbios 23.22), vem a pergunta: O pai ainda tem algum exemplo ou tempo ao seu filho?
      

Marcos Schmidt
pastor luterano

sexta-feira, 25 de julho de 2014

“Bah, foi mal”

O Edelson Witt foi assassinado friamente com quatro tiros, confundido com outra pessoa. Um engano parecido com a tragédia do avião derrubado por um míssil na Ucrânia com 298 vítimas. “Bah, foi mal”, disse o matador depois de perceber o “equívoco”. O Edelson tinha 42 anos e apesar da deficiência e mentalidade de criança, atuava ativamente na igreja luterana do bairro Santo Afonso em Novo Hamburgo. Ele gostava muito de conversar e era estimado pelos amigos e vizinhos. Semana passada puxou um papo amistoso comigo, a última lembrança que tenho dele. Seus pais e irmãos estão muito abalados. É outro crime estúpido nesta onda de violência que atinge a todos.
 
Qual a saída? O que fazer?  Para a família enlutada só resta o conforto daquele que disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá” (João 11.25). Mas não podemos ficar só com as mãos cruzadas em oração. É preciso indignar-se e exigir das autoridades justiça, paz social e proteção. Sabe-se que a violência urbana tem várias causas: desestruturação familiar, incapacidade dos governos, impunidade, corrupção etc. No meio disto está o tráfico de drogas, o grande agente dos crimes violentos. Os “acertos de conta”, as chacinas e outras disputas entre traficantes rivais transformaram-se em rotina. E nesta guerra de bandidos somos confundidos e nos tornamos vítimas.
 
Tem toda a razão o assassino do Edelson: “foi mal”. Foi o pior mal que alguém pode cometer. Por isto o recado bíblico: “O assassino cava muito depressa a sua própria sepultura” (Provérbios 28.17). Mas ao mesmo tempo a Bíblia recomenda: “Não paguem a ninguém o mal com o mal (...) Deixem que seja Deus quem dê o castigo” (Romanos 12.17,19). Aos homicidas, caso queiram escapar do castigo eterno, basta se arrepender e crer no perdão, pois, incrivelmente, até por eles Jesus orou na cruz: “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem”. O que não exclui a devida punição nesta terra de Caim.
 
 
pastor luterano

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Nova chance para louvarmos!

Daqui a seis Domingos estaremos novamente comemorando o Natal. Como o tempo passa rápido! Imaginem só, parece que ontem começamos o ano e na verdade já iniciamos os ensaios para as programações natalinas.

Lembrei-me desta proximidade com o Natal ao ler o relato bíblico de Ex 3.1-15, pois o Natal é o cumprimento da promessa de Deus em salvar o mundo do pecado. E foi isso que aconteceu quando á Deus chamou Moisés para  libertar o Povo da Escravidão do Egito. O povo sofria e o Senhor o libertou.

"Tenho ouvido o seu pedido de socorro por causa dos seus feitores. Sei o que estão sofrendo. Por isso desci para libertá-los..."(Ex 3.7,8). O Senhor desceu para levar o seu povo a uma terra grande, boa, rica, etc..."

De igual forma Deus agiu em noso favor. Por causa da escravidão do pecado ele enviou seu filho amado para descer aqui no mundo nos salvar. Aliás, esse relacionamento entre Deus e suas criaturas (nós) tem sido assim desde a queda em pecado. Ficamos escravos de nossas próprias transgressoes e o Senhor sempre surpreende com seu amor, brindando-nos o perdão e salvação.

Não dá nem para entender o tamanho deste amor que sempre perdoa, sempre ajuda, nunca se nega a estender a mão, mesmo quando o pecado está tomando conta.
Vejam:
Adão e Eva pecaram - Deus prometeu o salvador
Davi Pecou - Foi perdoado
Saulo era perseguidor - Teve a vida transformada
Pedro negou - Jesus o amou
etc... isso sem contar as muitas vezes que o Povo de Israel se manteve rebelde e Deus sempre dava uma nova chance.

Uma nova chance! É o que Deus também nos oferece hoje. Chance oferecida desde o nosso nascimento. Sabemos pela Palavra de Deus que desde a queda de Adão todos nascemos pecadores, por isso condenados eternamente se Cristo não nos tivesse livrado. Ou seja, mesmo estando debaixo da ira de Deus, o Pai de toda graça e misericórdia enviou seu filho amado Jesus Cristo e nos resgatou da morte e condenação. Foi no batismo que recebemos essa nova chance.

Chance que muitas vezes é desperdiçada pelos pais quando não dão importância a educação crista de seus filhos. Chance que é desperdiçada quando não damos valor aos meios que Deus proporciona para nos mantermos nessa fé salvadora. O deixar essa chance de lado resulta em uma vida fria, sem sentido e fadada a realmente terminar com a morte e morte eterna.

Mas "Deus é um Deus de vivos e não de mortos", foi o que Jesus disse no Evangelho de Lucas 20.27-40. Ele quer que suas criaturas (nós) se tornem e continuem vivos hoje e na eternidade. Por isso que o Senhor não se cansa de nos dar essa nova chance. E segue dando...

*A igreja com as portas abertas para nos oferecer Palavra e Sacramento para nosso fortalecimento.
*Sua Própria Palavra, a Bíblia, para ser lida e ouvida, disponível ao alcance de nossas mãos e ouvidos. Que opera a fé em Cristo Jesus.
*Santa Ceia, que fortalece e preserva na fé verdadeira.
*Um pastor, cura d`almas, para conduzir o povo no caminho de Jesus.
*Devocionários (Castelos forte, 5mcj, etc...) para termos explicações e conforto diárias em nossas vidas.
E assim por diante Deus vai se aproximando de nós, estendendo suas mãos, sua nova chance, sua nova vida! Vida Eterna!

Essa garantia da vida eterna muda muita coisa em nossa vida diária e nota-se claramente a pessoa que sabe que tem o céu garantido. Como sabemos disso? Oração e Louvor! Sintomas do cristão.

Leia o Salmo 148, especialmente os versículos 11 a 14.

Nós somos o povo a quem o Senhor dá uma nova chance de vida eterna por causa do seu amor!
Reflitamos esse amor com nossa vida e louvor. Amém.

Igor Marcelo Schreiber
07.11.13


O fantástico da Santa Ceia

O "Baú do baú do Fantástico", exibido no último 27 de outubro, fez uma paródia da Santa Ceia que desagradou muita gente. O filho do Chico Anísio entra no cenário daquela quinta-feira anterior à morte de Jesus, e até faz uma "entrevista" com um Jesus com aparência de estar chapado. O humorista Bruno Mazzeo, no entanto, comete um equívoco neste "baú" ao colocar o evangelista Marcos entre os "convidados" da Santa Ceia - ele não pertence aos doze discípulos. Em todo o caso, esta é a função da paródia, imitar de maneira irônica e debochada obras literárias, filmes, músicas, e até histórias, como neste caso, a última Páscoa de Jesus com os discípulos quando o Senhor instituiu a Santa Ceia. Mas o problema da paródia é quando a brincadeira vira coisa séria, como acontece no bullying.
Quanto ao uso do nome de Deus, o próprio Criador ordena num dos Dez Mandamentos: "Não use o meu nome sem o respeito que ele merece; pois eu sou o SENHOR, o Deus de vocês" (Êxodo 20.7).  
Porque será que Deus tanto se importa com o nome dele? Na verdade, não é com o nome dele, mas com o nosso nome, com a nossa felicidade. Por exemplo, um jovem que não respeita o seu pai, ele terá dificuldades para confiar nele, receber dele a educação e tudo aquilo que um pai deseja oferecer ao seu filho. Naquela noite memorável Jesus pegou o cálice de vinho e disse: "Bebam todos vocês porque isto é o meu sangue, que é derramado em favor de muitos para o perdão dos pecados" (Mateus 26.28).  Não existe algo mais fantástico neste mundo do que o perdão dos pecados. Por isto, a Santa Ceia é coisa séria. A Bíblia enfatiza isto: "Aquele que comer do pão do Senhor ou beber do seu cálice de modo que ofenda a honra do Senhor, está pecando contra o corpo e o sangue do Senhor" (1 Coríntios 11.27). 
Está comprovado que o humor ajuda a vencer os problemas e traz longevidade, mas tem coisas que precisam de seriedade e reverência, começando com a Palavra de Deus. 
Marcos Schmidt

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

15º Domingo após Pentecostes

Tema: O que agrada ao Senhor.
Lucas 14.1-14; Hb 13.1-17
Amados irmãos e irmãs, peço que prestem atenção na oração que farei agora,busquem notar alguma coisa de diferente: 

"Meu Pai que está no céu; santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O meu pão de cada dia me dá hoje. Perdoa as minhas dívidas como eu tenho perdoado aos meus devedores. Não me deixe cair em tentação, mas livra-me do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém."

Notaram alguma diferença da oração original ensinada por Jesus? Procurei, nesta adaptação do "Pai Nosso" traduzir o sentimento individualista que vem tomando conta, cada vez mais, da vida do ser humano.  Já perceberam como hoje em dia o "nós" vem sendo trocado pelo "eu"? 

Tentando identificar a causa desse fenômeno encontramos inúmeras explicaçoes:
 - Tecnologia - O que antes se fazia com visitas, conversas, reunioes, hoje se troca por um telefonema ou uma tela de computador.
- Crise Econômica - Com intuito de economizar, menos visitas são feitas, menos convites se fazem e recebem. Almoços, reuniões, viajens a familiares e outras coisas tem sido extirpadas de nossa rotina por causa dos gastos.
- Segurança - Todos se fecham em suas casas ou apartamentos, muros cada vez mais altos. O mínimo de contato possível com vizinhos, afinal de contas não dá para confiar em ninguém.
- Falta de tempo; Depreçao; etc...

Essas e outras muitas circunstâncias  tem feito com que nós, diariamente, nos tornemos fechados em nossa individualidade, onde, por vezes, até mesmo dentro da família é "cada um por si e Deus por todos". Então nos identificamos muito como leões solitários em busca de um território a dominar, passamos a não se importar com os outros e pensamos somente em "nós mesmos". E o mundo onde vivemos torna-se um mundo a se conquistar, onde impera a competitividade, onde todos busca ser o primeiro, o melhor, o destaque.

Entramos então no campo do pecado, pois o orgulho e a arrogância passam a fazer parte do ser individual em busca do êxito pessoal. Agora o que importa é o "eu" e nao o "nós".

Como nos identificamos com tudo isso que foi dito acima!

Certa vez Jesus foi convidado para uma festa, onde começou a observar como as pessoas escolhiam os melhores lugares à mesa. então aproveitando esse exemplo começou a ensinar. Ensinamento também para nossos dias atuais. Basicamente resumo seu ensino nas palavras: 

"Os humildes serão exaltados e os orgulhosos serão humilhados. Os primeiros serão os últimos e os últimos serão os primeiros."

Parece que esse ensinamento tenha sido para a época de Jesus, porque hoje, até nas igrejas, os primeiros tem sido os primeiros e os exaltados quase nunca são os humildes. Amados irmãos, se hoje o mundo/igreja não se comporta com humildade e dedicação com o próximo. Cabe a nós, JUNTOS,  como família de Deus, mudarmos o rumo dessa correnteza que arrasta cada vez mais pessoas para longe do amor a Deus e ao próximo. Precisamos mostrar ao mundo que o "eu" tem que ser deixado de lado quando vemos o grande amor de Deus por nós, então passamos a Amar a Deus acima de todas as coisas e, consequentemente, o próximo como a nós mesmos.

Para isso, torna-se de vital importância buscarmos o fortalecimento e orientação de Deus em sua Palavra. Em sua Palavra Deus ensina o que lhe agrada. Seu ensinamento está bem longe do ser engrandecido, orgulhoso, individualista.

Em Mateus 5.3 Jesus diz: "Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino de Deus."

No texto de Hebreus 13.1-17 há também indicações sobre como agradar a Deus: Amar aos outros como irmaos (1); Ser hospitaleiro (2); sofrer com os que sofrem (3); Respeitar o casamento (4); Nao amar o dinheiro -  O Senhor é quem me ajuda (5,6); Imitar a fé daqueles que nos ensinaram Cristo (7); Ser espiritualmente fortes, pela graça e nao por costumes (9); Louvar com lábios que confessam a fé em Deus (15) Fazer o bem e ajudar aos outros (16)...

Amados em Cristo, peço que vocês escutem esses ensinamentos e pratiquem. Me deixarão muito contente (Hb 13.17). Mais contente ainda estará Deus, pois estarão, movidos pela fé, fazendo o que lhe agrada. Amando Ele acima de tudo e ao próximo como a si mesmo. Amém