sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Pais que crêem são filhos de Deus.



12º Domingo após Pentecostes 
Leituras: Hb 11.1-16; Lucas 12.22-40

Muitos são os tipos dos pais. O meu pai é diferente do seu, o seu pai é diferente do seu sogro. Seu avô foi um pai diferente, com certeza você será outro tipo de pai. Existem pais mais modernos, outros nem tanto. Aquele pai mais rígido e também aquele que é mais maleável. Alguns conversam bastante, outros são mais caladões. Há aquele que é meio rabugento e outro que é um paizão! Qual o perfil do seu pai? 

Levando em consideração as muitas diferenças existentes nas pessoas e, consequentemente, nos muitos tipos de pai. Vamos meditar no tema: Pais que crêem são filhos de Deus. 

Na Bíblia também encontramos vários exemplos de pais: Adão, o pai que viu o resultado do seu pecado diretamente em seu Filho, que matou o irmão; Isaque, pai de gêmeos; Labão, o pai que, para despachar a filha encalhada, enganou seu genro Jacó. Hoje lembramos nas Leituras bíblicas também de Abraão, Pai em avançada idade, mas especialmente reconhecido por sua tamanha fé, que fez Deus o constituir  como Pai de muitas nações. 

Vejamos como foi à vida deste pai.                             
Abraão era homem muito rico em gado, prata e ouro. Mas vivia em barracas. Porque não usou estes bens para satisfazer seus desejos pessoais em sua vida? Poderia ele ter pensado em comprar uma terra, levantar ai sua residência. Montar uma fazenda com seus muitos animais. Mas não, não era esse terreno que lhe interessava. 

Morreu na fé, confessando que era estrangeiro e peregrino neste mundo. Porque, pela fé, ele esperava a cidade de Deus, terra prometida. Anelava pátria melhor. Por isso Deus não se envergonhava de ser chamado Deus dele, conforme dito no livro de Hebreus. Não que suas posses terrenas não servissem de nada, claro que sim. O que fazia Abraão com seus bens? Em Gn 14.13-16 nos é dito qu Abraão usou seus bens para salvar Ló, seu sobrinho. Em Gn 14.20 também está escrito que usou seus bens para agradecer a Deus ofertando. Ou seja, Abraão usava aquilo que o Senhor havia lhe dado em amor a Deus e ao próximo. Seu coração estava com Deus e a favor do Próximo. Lembramos como ele não hesitou nem mesmo em dar seu próprio Filho de volta a Deus, quando pedido. 

Esse é um Pai que crê! Essa fé o torna Filho de Deus. 

A nós pais, seja como formos, podemos também ser "Pais Filhos" de Deus pela fé", quando sabemos que o mais importante é buscar em primeiro lugar a Deus e sua Justiça (Mt 6.33). É essa herança que temos deixado a nossos filhos?  

Muitas vezes temos nos dedicado tanto as coisas terrenas (trabalho, dinheiro, status, etc...) e não damos duro para encher nossa casa com fé! Desdenhamos até. Esquecendo do que lemos semana passada em Ec 2: "Tudo é Ilusão". E aí? Na hora da morte, do que valerá ter enchido nossos bolsos e corações com tudo isso que é material? 

No Evangelho de hoje, Jesus vê os discípulos preocupados com a vida terrena. O que comer, o que vestir. Então lhes ensina como o Senhor cuida, dando exemplos claros e simples, que qualquer um entende: Flores e pássaros. Diz para os discípulos buscarem em primeiro lugar a Deus, pois onde está o seu tesouro estará o seu coração. E que assim se preparem, pois não tardará em voltar para julgar os vivos e mortos. Felizes os que estiverem preparados.
  
Os bens materiais podem impedir a visão do tesouro celestial. Fazendo que não estejamos preparados para a vinda do senhor. Não coloquemos as coisas terrenas na frente de nossos olhos e nos olhos de nossos filhos. Dediquemo-nos aos nossos filhos com a nossa fé. Mostrando que além de Pais, somos Filhos de Deus. E Assim, caminharemos, pais de todos os tipos, filhos de todas espécies, juntos para o Pai Celeste. Amém. 
Rev. Igor Marcelo Schreiber 
Uruguaiana, 09.08.2013 

sábado, 3 de agosto de 2013

Mensagem - Porque buscamos ao Senhor no Culto?

Textos: Salmo 100; Ec 1.2,12-14;2.18-26; Cl 3.1-11; Lc 12.13-21 
Tema: Porque buscamos ao Senhor no Culto? 
Que a graça e a paz de nosso Senhor Jesus Cristo estejam conosco. Amém. 
Queridos irmãos e Irmãs. No mês que passou participei de dois cultos de leitura, notei, até mesmo escrevi em nosso informativo, sobre a baixa frequência nesses cultos. Fui levado a uma reflexão profunda sobre: Porque buscamos ao Senhor na Igreja? 
Porque você busca a Deus no Culto? 
Há muitas respostas a esta pergunta. Se fizermos uma pesquisa em nossa cidade, com toda certeza encontraríamos respostas das mais variadas. prosperidade, curas, meditação, etc... Certa vez alguém me disse que a igreja precisa fazer todo esse circo (liturgia, sermão, batismo, etc...) para chamar as pessoas a fé. Que absurdo! Mas penso, quando esse "circo" não tem o pastor aqui na frente fica sem graça!  
Há falta de conhecimento do que é e para que serve o culto! Não podemos negar. 
Porque você busca a Deus no Culto? 
Em Colossenses 3.1-11 o apóstolo Paulo fala sobre a vida de quem ressuscitou com Cristo (1), daqueles que tem a vida escondida em Cristo (3). Para esses, Cristo é a verdadeira vida! Por isso colocam seus interesses nas coisas que são do céu, onde Cristo está a direita do Pai (1). Isso não é depreciar as coisas aqui na terra, mas sim dar valor ao que realmente tem valor para o crente. Nossa luta continua sendo aqui na terra, mas sem perder a perspectiva do alto. O "estamos no mundo, mas dele não somos" do Hino explica muito bem isso. 
O povo de Israel lia o livro de Eclesiastes no tabernáculo durante a festa da colheita. Nesta ocasião o israelita alegrava-se com canções e danças pelos frutos de seu trabalho e agradecia a Deus os dons recebidos (p383 A mesa da Palavra, ano C). O interessante é que a porção bíblica de Eclesiastes destinada para hoje nos fala que todo esse fruto decorrente do esforço terreno é Ilusão!  
LER: Ec 2.21-23 
É tudo ilusão! Porque então buscamos ao Senhor no culto? 
Se tudo é ilusão, buscamos ao Senhor por causa daquilo que não é Ilusão! Jesus, no Evangelho de hoje, critica o esforço de buscarmos contentamento nas coisas terrenas. E nos insta a armazenar riquezas diante de Deus, para a vida Eterna. 
A verdadeira vida, aquela que não é ilusão, está no relacionamento com Deus. As demais coisas terrenas procedem dele. Agradecer alegremente ao Senhor no culto, deve ser uma resposta automática daquele que ressuscitou com Cristo. Devemos sempre estar preocupados em amar a Deus acima de todas as coisas, dedicando tudo que somos e temos para ele e sua obra. 
Porque então buscamos ao Senhor no culto? Porque o culto é o momento de nós louvarmos ao Deus que tudo nos dá. Agradecer aquilo que recebemos sem mesmo merecermos. Agradecer a Deus por tudo de bom, materialmente e espiritualmente, que recebemos. 
Isso é procurar as coisas do Alto. Não quer dizer que vamos sair do mundo, mas pensando, amando, querendo, procurando o que é do alto que seremos modelados a uma vida segundo o que agrada ao Senhor. Estaremos enchendo celeiros no céu. 
Tendo consciência disso, mudamos nossa maneira de pensar a respeito do culto e minha frequência. Não participo no culto por questões de saúde, de trabalho, de prosperidade, o qualquer benefício pessoal que posso receber, Tudo isso é Ilusão!. Não participo no culto porque gosto daquele ou daquela pessoa, do pastor ou do líder que conduz a atividade, é Ilusão também. Participo sim, em agradecimento a Deus por aquilo que ele fez sem eu merecer. Principalmente porque ele me salvou com o sangue de seu próprio filho Jesus. 
Claro que recebo muitas outras bênçãos na participação nos cultos. Perdão de pecados, fortalecimento de fé, comunhão, etc... mas o que me motiva a vir ao culto é o amor de Deus revelado em Cristo. 
Grande motivo para nós, conforme o Salmo 100, "cantar hinos a Deus, o Senhor, todos os moradores da terra! Adorar ao Senhor com Alegria e vir cantando até sua presença. Lembrar que o Senhor é Deus, Ele nos fez, e nós somos dele; somos o seu povo, o seu rebanho. Entrar pelos portões do templo com ações de graças, entrar nos seus pátios com louvor. Louvar a Deus  e ser agradecidos a ele. Pois o Senhor é bom; o seu amor dura para sempre, e a sua fidelidade não tem fim." Amém. 
Rev. Igor Marcelo Schreiber 
Uruguaiana, 03.08.13