sexta-feira, 24 de agosto de 2012

São sempre os mesmos!


“São sempre os mesmos!” Esta frase vem sendo feita em diversas áreas de nossa Igreja. Em diversos momentos escutei alguém da Liga de Servas dizer: São sampre as mesmas, pastor! Nos departamentos de Jovens e leigos também é comum escutarmos esta afirmação. E quando falamos em eleição de Diretoria? Seja da Paróquia, comunidade ou de qualquer departamento, sempre a constatação parece a mesma: São sempre os mesmos!

Porque isso acontece? Qual o motivo de sempre termos as mesmas pessoas em cargos de liderança, no apoio, nas ofertas, enfim, sempre os mesmos servindo ao Senhor com Alegria?

Não adianta culpar os inativos, apáticos, mornos, relaxados... seja qual for a nomenclatura que usamos para descrever aos cristãos que não cooperam. A resposta tem muito haver com a vida de Santificação que nós temos como cristãos, não adianta fugir. A responsabilidade está em nós. 

Em 1 Pe 2.9 está escrito assim: Mas vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz”.

Na qualidade de Nação Santa, povo exclusivo de Deus vivemos de maneira coerente com o que somos. E o coerente a nação Santa é ter uma vida santificada. Quanto mais ocupamos nossas vidas com o Senhor, mais ativos nos tornamos, mais santificada fica nossa vida! São sempre os mesmos que cooperam, porque são sempre os mesmos que se fortalecem, são sempre os mesmos que se dão conta de que sua vida é um servirço ao Senhor!

Quando nos damos conta de que fazemos parte de uma raça escolhida, uma nação totalmente dedicada a Deus, naturalmente brota nós o desejo de anunciar os atos poderosos daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. Passo a servir, passou a fazer parte daqueles que sempre são chamados de “os mesmos”. 

Constatamos então que a solução para o problema do “são sempre os mesmos” é fazer com que TODOS sejam “os mesmos”. Complicado, não é? Não para Deus. É anunciando os seus atos poderosos a TODOS que o Espírito Santo trará mais pessoas a se unirem a nós: “Os mesmos que Servem ao Senhor sempre”. Amém.

Igor Marcelo Schreiber

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

No pódio da vida

Os Jogos Olímpicos são a expressão máxima deste desejo humano em competir e conquistar. São 204 países que disputam 39 modalidades de 26 esportes. Se pensarmos nos desafios diários pela sobrevivência, nosso peito estaria repleto de medalhas. A própria existência é uma conquista, pois cada um subiu ao pódio após uma corrida que deixou para trás 200 a 500 milhões de espermatozoides. Se chegamos até onde chegamos, é porque vencemos. É claro, muitos não seguem as regras e ganham de forma ilegítima. Mas qual o gosto de receber o prêmio de um dinheiro desonesto? De uma promoção puxando o tapete do colega? De uma prova de vestibular que foi colada? Deve ser chata a vida destes políticos corruptos, empresários desonestos, desta gente que sempre acha um jeitinho para “vencer” na vida. Melhor é disputar com integridade e sentir o prazer da vitória com honradez. Já dizia Salomão que “a honestidade torna mais fácil a vida dos bons, porém os maus causarão a sua própria desgraça” (Provérbios 11.5).
 
O apóstolo Paulo também usou os Jogos Olímpicos para comparar, mas foi com a vida espiritual: Todo atleta que está treinando aguenta exercícios duros porque quer receber uma coroa de folhas de louro, uma coroa que, aliás, não dura muito. Mas nós queremos receber uma coroa que dura para sempre. Por isto corro direto para a linha final. Também sou como um lutador de boxe que não perde nenhum golpe. (1 Coríntios 9.25,26). No entanto, o escritor bíblico lembra que em qualquer situação a vitória sempre depende do esforço de Cristo (Romanos 8.37). Por isto o testemunho dele: “Esse prêmio é a nova vida para a qual Deus me chamou por meio de Cristo Jesus (Filipenses 3.14). Na verdade, tanto no aspecto físico como espiritual, em Cristo “vivemos, nos movemos e existimos” (Atos 17.28).  O que não elimina o preparo, a dedicação, o interesse humano. Bem disse Jesus: Se alguém quer me seguir, então carregue a sua cruz.
 
Marcos Schmidt