quarta-feira, 4 de setembro de 2013

15º Domingo após Pentecostes

Tema: O que agrada ao Senhor.
Lucas 14.1-14; Hb 13.1-17
Amados irmãos e irmãs, peço que prestem atenção na oração que farei agora,busquem notar alguma coisa de diferente: 

"Meu Pai que está no céu; santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O meu pão de cada dia me dá hoje. Perdoa as minhas dívidas como eu tenho perdoado aos meus devedores. Não me deixe cair em tentação, mas livra-me do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém."

Notaram alguma diferença da oração original ensinada por Jesus? Procurei, nesta adaptação do "Pai Nosso" traduzir o sentimento individualista que vem tomando conta, cada vez mais, da vida do ser humano.  Já perceberam como hoje em dia o "nós" vem sendo trocado pelo "eu"? 

Tentando identificar a causa desse fenômeno encontramos inúmeras explicaçoes:
 - Tecnologia - O que antes se fazia com visitas, conversas, reunioes, hoje se troca por um telefonema ou uma tela de computador.
- Crise Econômica - Com intuito de economizar, menos visitas são feitas, menos convites se fazem e recebem. Almoços, reuniões, viajens a familiares e outras coisas tem sido extirpadas de nossa rotina por causa dos gastos.
- Segurança - Todos se fecham em suas casas ou apartamentos, muros cada vez mais altos. O mínimo de contato possível com vizinhos, afinal de contas não dá para confiar em ninguém.
- Falta de tempo; Depreçao; etc...

Essas e outras muitas circunstâncias  tem feito com que nós, diariamente, nos tornemos fechados em nossa individualidade, onde, por vezes, até mesmo dentro da família é "cada um por si e Deus por todos". Então nos identificamos muito como leões solitários em busca de um território a dominar, passamos a não se importar com os outros e pensamos somente em "nós mesmos". E o mundo onde vivemos torna-se um mundo a se conquistar, onde impera a competitividade, onde todos busca ser o primeiro, o melhor, o destaque.

Entramos então no campo do pecado, pois o orgulho e a arrogância passam a fazer parte do ser individual em busca do êxito pessoal. Agora o que importa é o "eu" e nao o "nós".

Como nos identificamos com tudo isso que foi dito acima!

Certa vez Jesus foi convidado para uma festa, onde começou a observar como as pessoas escolhiam os melhores lugares à mesa. então aproveitando esse exemplo começou a ensinar. Ensinamento também para nossos dias atuais. Basicamente resumo seu ensino nas palavras: 

"Os humildes serão exaltados e os orgulhosos serão humilhados. Os primeiros serão os últimos e os últimos serão os primeiros."

Parece que esse ensinamento tenha sido para a época de Jesus, porque hoje, até nas igrejas, os primeiros tem sido os primeiros e os exaltados quase nunca são os humildes. Amados irmãos, se hoje o mundo/igreja não se comporta com humildade e dedicação com o próximo. Cabe a nós, JUNTOS,  como família de Deus, mudarmos o rumo dessa correnteza que arrasta cada vez mais pessoas para longe do amor a Deus e ao próximo. Precisamos mostrar ao mundo que o "eu" tem que ser deixado de lado quando vemos o grande amor de Deus por nós, então passamos a Amar a Deus acima de todas as coisas e, consequentemente, o próximo como a nós mesmos.

Para isso, torna-se de vital importância buscarmos o fortalecimento e orientação de Deus em sua Palavra. Em sua Palavra Deus ensina o que lhe agrada. Seu ensinamento está bem longe do ser engrandecido, orgulhoso, individualista.

Em Mateus 5.3 Jesus diz: "Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino de Deus."

No texto de Hebreus 13.1-17 há também indicações sobre como agradar a Deus: Amar aos outros como irmaos (1); Ser hospitaleiro (2); sofrer com os que sofrem (3); Respeitar o casamento (4); Nao amar o dinheiro -  O Senhor é quem me ajuda (5,6); Imitar a fé daqueles que nos ensinaram Cristo (7); Ser espiritualmente fortes, pela graça e nao por costumes (9); Louvar com lábios que confessam a fé em Deus (15) Fazer o bem e ajudar aos outros (16)...

Amados em Cristo, peço que vocês escutem esses ensinamentos e pratiquem. Me deixarão muito contente (Hb 13.17). Mais contente ainda estará Deus, pois estarão, movidos pela fé, fazendo o que lhe agrada. Amando Ele acima de tudo e ao próximo como a si mesmo. Amém