quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Lições do naufrágio

O desastre com o Costa Concordia assusta também os que estão em terra firme. A imagem do “Titanic” italiano, rendido nas rochas, com seu colossal tamanho, luxo e tecnologia, choca e aterroriza a todos que têm consciência das incertezas no mar da vida. Por isto as lições desta tragédia. E a primeira que sobressai é a atitude irresponsável e covarde do comandante. Saiu da rota por motivos fúteis, abandonou o navio quando deveria ser o último, e ainda mentiu para a capitania dos portos. Insensatez, desatinos, e falsidade, no entanto, são marcas que caracterizam a sociedade moderna. O mundo está carente de bons navegadores na família, na política, na economia, nos meios de comunicação, nas escolas, nas polícias, e pior, nas religiões. Todas as instituições estão afundando. Deveriam estar “vento em popa”  pela ciência. Mas, quanto mais a humanidade avança na tecnologia, mais regride nos valores éticos e morais.
 
E assim a atitude deselegante das pessoas na hora de abandonar o navio. A frase “mulheres e crianças primeiro” não foi respeitada. Passageiros relatam que muitos desacataram este regulamento na hora de entrar nos botes salva-vidas. Cavalheirismo, respeito e consideração naufragaram faz tempo. Creio que estamos presenciando aquilo que diz o texto sagrado, que as pessoas serão egoístas, desobedientes, sem amor, incapazes de se controlar e atrevidas (2 Timóteo 3.1-4). Percebe-se isto no trânsito, nas filas, ou em qualquer situação que exige renúncia. A teoria evolucionista da seleção natural, dos mais fortes que abatem os mais fracos, pode ser a explicação, mas não justifica. A sociedade precisa urgentemente da fé na criação e recriação divina, que tem outra teoria: “Quem ama é paciente e bondoso... Quem ama não é grosseiro nem egoísta” (1 Coríntios 13.4,5).
 
Mas o mundo tem saída. Igual ao navio que requer uma operação dispendiosa, mas capaz para chegar ao estaleiro e ser refeito. Intervenção que já começou quando a Bíblia afirma: “Um dia o próprio Universo ficará livre do poder destruidor” (Romanos 8.21). Até porque não tem como pular fora... 
 
 
Marcos Schmidt

sábado, 7 de janeiro de 2012

Fundamentados adoramos a Palavra/Jesus como filhos de Deus


 “No começo Deus Criou os céus e a terra. A terra era um vazio, sem nenhum ser vivente, e estava coberta por um mar profundo. A escuridão cobria o mar, e o espírito de Deus se movia por cima da água. Então Deus DISSE: - Que haja luz! E a luz começou a existir.” (Gn 1.1-3)

Toda vez que leio esse texto não consigo deixar de concluir: Que VOZ poderosa! Depois de ouvir o relato da criação como poderemos duvidar que a Palavra do Senhor tem poder? Deus DIZ e acontece. Tudo foi feito pela Palavra! No mesmo instante em que ela foi dita!

Como é essa Palavra? Em João 1.1 nos é relatado que: “Antes de ser criado o mundo, aquele que é a Palavra já existia. Ele estava com Deus e era Deus”. Como assim? A Palavra de Deus é alguém?  É sim! Quem? “A Palavra era a fonte de vida, e essa vida trouxe a LUZ para todas as pessoas. A luz brilha na escuridão, e a escuridão não conseguiu apagá-la.”(Jo1.4,5)
Ainda não sabemos quem?
“Existiu um homem chamado João que veio para falar desta luz, a luz verdadeira que veio ao mundo e iluminou todas as pessoas.”
Voz? Palavra? Luz? De quem estou falando?

O Evangelho de Jo 1.14 nos vai ajudar a entender: “A Palavra se tornou um ser humano e morou entre nós, cheia de amor e de verdade. E nós vimos a REVELAÇAO de sua natureza divina, natureza que ele recebeu como Filho único do Pai.” Entendemos então! Foi a VOZ, a PALAVRA, a LUZ, o FILHO ÚNICO DO PAI que veio ao mundo por causa do seu grande amor por nós, para que todo o que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna (Jo 3.16).

É esta PALAVRA/JESUS que se manifestou ao mundo. Essa semana nós comemoramos, no dia 06.01, o que conhecemos popularmente como Dia de Reis. No calendário cristão é chamado de Epifania, que significa Manifestação. Os conhecidos Reis Magos ou Sábios do Oriente, era estudiosos que tinham, com toda certeza, estudado o Antigo Testamento e esperavam o cumprimento da promessa. Viajaram de muito longe para visitar o Salvador que havia nascido.  Eles levaram para ele presentes caros. Foi a primeira vez que a Palavra foi pregada/manifestada para o povo não judeu.

A Palavra tem sim poder! E foi capaz de deslocar, de muito longe, pessoas para adorá-lo!

Adoração a Palavra! O Salmo 29 nos fala de adoração de anjos que louvam ao Senhor por sua Glória e Poder, por sua Palavra que è ouvida e temida por toda natureza! Diz o Salmo no v.9: “A voz do Senhor sacode os carvalhos e arranca as folhas das arvores. Enquanto isso, no seu Templo, todos gritam: Glória a Deus!”

Confesso que não pude deixar de pensar, ao ler este salmo, do poder da natureza ao inundar diversos lugares essa semana no sudeste. Mas a Palavra de Deus tem muito mais poder do que a água, os trovões, os ventos que desabrigaram tanta gente. Faz com que enquanto aconteçam grandes tragédias permaneçamos firmes! Diz o Salmista: “Enquanto isso, no seu Templo, todos gritam: Glória a Deus!” Ele, a PALAVRA é “cheia de Poder e Majestade” (Sl 29.4) e “habitou entre nós” (Jo1.14).

Quem garante que Jesus/Palavra tem poder?
O Próprio Pai, no dia do batizado de Jesus afirmou: “Tu és o meu Filho querido e me dás muita alegria.” (Mc 1.11).
Alegria para o Pai, porque seu filho era muito maior do que João Batista, porque seu filho tem Poder para, com seu sangue, nos limpar de todo pecado! Alegria do Pai porque Ele amou o mundo tanto que deu seu filho e agora quem crer nesse filho nele não morrerá mais! Recebe uma nova vida!

Em Rm 6.1-11 o apóstolo Paulo orienta aqueles que vivem essa nova vida em Cristo. Ele pergunta: Será que devemos viver no pecado para que a graça de Deus aumente mais?  Não! Morremos para o pecado, por isso não continuemos a viver nele.

Muitas vezes nos esquecemos disso, esquecemos que o verbo se fez carne e habitou entre nós para que fossemos unidos com Cristo também em sua morte. Esquecemos que no batismo a nossa velha natureza pecadora foi morta com Cristo na cruz, a fim de que o nosso eu pecador fosse morto para não sermos mais escravos do pecado... e continuamos dando trela aos, como chamamos “pecadinhos”.
Irmaos, assim como a PALAVRA/Cristo foi ressuscitado e vive, passemos também nós a viver uma nova vida! Se morremos com Cristo, cremos que viveremos com ele.

O que è viver com Cristo? É se considerar mortos para o pecado; mas, por estar unidos com Cristo Jesus, se considerar vivos para Deus.

Isso nos leva a “procurar não deixar que o pecado domine o nosso corpo mortal” (Rm 6.12) Nem que “entreguemos alguma parte de nosso corpo ao pecado... pelo contrário, como pessoas que foram trazidas (pela Poderosa Palavra) da morte para a vida, (das trevas para a luz), nos entregar completamente a Deus, para que ele use-nos a fim de fazermos o que é direito” (Rm 6.13).

O pecado não mais nos dominará porque agora estamos dominados pela graça de Deus (Rm 6.14). Porque a poderosa voz do Senhor alcançou-nos com seu amor. Porque fomos fundamentados no amor de um Deus todo poderoso, capaz de criar céus e terra com sua Palavra. Porque estamos fundamentados naquele que dá muito prazer ao Pai, pois cumpriu a promessa de salvação. Porque estamos firmes na rocha poderosa e amigo fiel Jesus!

Assim, com esses fundamentos, queremos servir e adorar ao nosso Deus manifestando a Palavra poderosa/Jesus para todas as nações. Amém.
Rev. Igor Marcelo Schreiber
Uruguaiana, 06.01.12

domingo, 1 de janeiro de 2012

Natal é ...

Natal é Vida!

Natal é Deus presente em mim,

É Deus presente em você.

Deus ao criar Adão soprou nele o fôlego da vida e ele passou a ser uma alma vivente.

É a partir desse momento que Deus passou a estar presente no ser humano. Por que o ser humano era santo justo e perfeito, a semelhança de Deus.

Na semana passada lembre-me dos programas de Natal que nós elaborávamos a cada ano, igualmente dos que a Igreja, IELB. Colocavam a disposição.

Todos os programas sempre eram voltados à aparecer. Se não fossem as crianças era o teatro em si.

Mais ou menos o que estão fazendo hoje na mídia com a música gospel. Explora-se a qualidade dos artistas para angariar aplausos e dinheiro, não a mensagem em si, evangelho de Cristo, o amor!

O ser humano desde sua queda usou e usa esse recurso. Transferindo para outrem tanto a qualidade como responsabilidade.

No caso do erro, da falha transfere-se a culpa para alguém outro! Ele mesmo não assume! Lembrem a história de Eva e Adão! Diante de Deus a serpente passa a ser culpada, a mulher e finalmente Deus, quando Adão afirma “a mulher que me deste me deu e eu comi”. Assim aconteceu e continua!

Na idade média a Igreja Cristã promoveu a inquisição, na tentativa de impor as suas leis e justificar seus atos na qual em nome de Deus foram mortos num período de 1200 anos + de 9 milhões de pessoas que não se adequavam aos ditames da lei. Tudo em nome de Deus, tentando cumprir leis e as tradições, sendo que o amor que representa Cristo ficou e ainda hoje fica em segundo, senão em último plano.

Em nenhum lugar nas Sagradas Escrituras Jesus matou alguém que discordasse dele, tampouco ensinou que seus seguidores fizessem isso. Nenhum dos apóstolos deu essa instrução à igreja mais tarde no Novo Testamento.

O homem vive em função da lei quando a lei deveria ser em função do Homem! A Lei deve servir de espelho, de guia, orientação como viver o amor de Deus, como praticar o bem.

O Programa de natal coloca em evidência o amor de Deus ... “ Deus amou”... Amor que o Cristo adulto, homem, viveu, mostrou em suas ações. E sempre em todos os momentos enfatizou ao falar a seus seguidores: “amai-vos uns aos outros”. Jesus não estava falando do amor a uma determinada classe social ou elite, e sim de todos os seres humanos ... independente de cor, raça ou classe social.

Infelizmente, o que vemos no mundo cristão de hoje?

Discutem-se regras, leis, regimentos que beneficiam a nós mesmos. O mesmo acontece no setor político!

A mensagem de Jesus foi clara, simples, que a grande maioria dos não cristãos, por alguns justiceiros chamados de pagãos, AINDA HOJE, aceitam como a máxima que guia, orienta suas vidas, chamando-a de Regra de Ouro. As palavras de Jesus: “Façam aos outros aquilo que quereis que vós façam” – Mt 7.12

E sem dúvida isso só é possível quando o amor é colocado em prática – ao fazer-se o bem! Identificando assim a presença de Deus em sua vida.

Onde o amor acontece, há paz, perdão, solidariedade, bondade, paciência, longanimidade, felicidade eliminando toda a maldade que tomou e toma conta do mundo. Essa demonstração de amor precisa ser recíproca.

A reciprocidade fica clara nas cinco palavras de Jesus: “Amai-vos uns aos outros”. Está é a maior lei de Deus. Anunciada pelo Pai executada pelo filho e que o Espírito Santo participa conosco em nossa vida diária na santificação.

Se eu o fizer!

Se você o fizer,

Se todos nós o fizermos, com certeza o mundo será melhor!

Haverá vida! Com a presença de Deus em nós!

O Natal, deve estar presente em cada um nós, cada dia!

Deixe Jesus nascer cada dia em seu coração, em suas atitudes!

Amém!